segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O grande barato de escrever: entrar num mundo que não é o seu. Mas que passa a ser no momento em que você o invade.

Deve ser a crise dos 20... Haa.. só pode!!


Vire e mexe me pego pensando em tudo de uma só vez, serio, tudo de uma só vez... Minha vida ta mudando demais, nem sei direito pra onde estou indo, a unica coisa que sei é que estou seguindo o caminho das coisas que deixam meu coração mais tranqüilo, feliz, esperançoso. Parece que ja não sinto as feridas, agora estou superando-as de forma mais segura, nem ligo se as angustias vão me perseguir por 2 minutos ou 2 horas.
Ainda sito falta das coisas boas que tive, ha tempos atras... Penso nos momentos que me fizeram sonhar acordada, mas entendo que não era pra ser... É, não era mesmo!! Outros momentos sempre aparecem, retornam, outros e outros... Outros cenários, novos personagens, eu é que continuo a mesma por isso que sinto dificuldade em me adaptar a outros corpos, rostos e mãos.
Meu momento ta calmo. Ta sendo abençoado. Alguma coisa me diz que irá valer a pena, que era pra ser, que nos encontramos na hora certa, afinal eu sentia que iria encontrar alguém pra seguir junto, digo, fazer parte do meu caminho.



  1. Faz silêncio.
  2. Não quero dar explicações. Faltam-me palavras para certas coisas. Quem
  3. passa lá fora não consegue ver. Continua chovendo dentro de casa. O
  4. náufrago sequer envia mensagens na garrafa. Não há mais nada a ser salvo.
  5. O desamor rompeu a barragem. Eu mesma, nesse momento, me protejo como
  6. posso com os pés acima do chão. Nunca aprendi a nadar em águas revoltas.
  7. Agora, chovo. Ver por dentro provoca precipitações. Calma. Eu nasci
  8. sabendo voar. Não tenho pressa. O descobridor dos sete mares passará por
  9. mim e me navegará. Meu corpo fundará uma nova terra. Meus olhos dirão.
  10. Seus olhos me aquecerão. Ele sabe ler sinais. Haverá mudança de tempo. È
  11. verão. Aqui dentro, quarenta graus. Descansarás tuas pernas entre as
  12. minhas.
  13. Faz silêncio.